Notícias 2019
Novidades

Notícias 2019

Tradição e futuro: a fábrica da Daimler AG em Mannheim incorpora ambos na perfeição. Inaugurada em 1908, completa em outubro de 2019, 111 anos. Aqui são construídos, por um lado, os motores ultramodernos para camiões e autocarros e, por outro, as estruturas em bruto para todos os autocarros Mercedes-Benz e Setra de Mannheim e Neu-Ulm. Mas Mannheim é, acima de tudo, a casa da grande família do autocarro urbano Mercedes-Benz Citaro. Desde o outono de 2018, que esta culmina com o eCitaro de propulsão totalmente elétrica. Perfeitamente enquadrado no processo de fabricação, este é produzido nas mesmas linhas que o Citaro com motor de combustão interna de baixas emissões com vários milhares de provas dadas. A unidade de produção de autocarros de Mannheim emprega cerca de 3500 trabalhadores – apoiados por muitas máquinas e alguns robôs, eles produzem um autocarro urbano que integra até 30.000 peças.

Trata-se de um componente essencial do conceito do eCitaro totalmente elétrico e de um selo de qualidade: o comprovado Citaro constitui a base do eCitaro. Ele é um Citaro – mas especial. Na estrutura em bruto, só os especialistas conseguem distinguir os diferentes tipos de propulsão.

Produção do Mercedes-Benz eCitaro.

  • Selo de qualidade Citaro: com provas dadas, este constitui a base do eCitaro
  • Estrutura em bruto: a estrutura do eCitaro é criada a partir de perfis e chapas
  • Pintura por imersão catódica: imersão como proteção fiável contra corrosão
  • Montagem: autocarro urbano de alta tecnologia oriundo do tradicional edifício da Benz & Cie.
  • Montagem principal: o eCitaro ergue-se agora sobre as próprias rodas
  • Pavilhão de acabamento: montagem de baterias e colocação em operação da tecnologia de alta tensão
  • Prova de estrada exaustiva em circuito de ensaio e na via pública

No edifício 45 da fábrica de Mannheim, cerca de 1.100 funcionários trabalham em dois turnos para produzir a estrutura monobloco do autocarro urbano a partir dos perfis em aço fornecidos. Aqui, os perfis e as chapas começa por ser estirados e dobrados e as chapas metálicas recortadas. Máquinas de corte a laser trabalham de forma altamente precisa e com uma potência de corte até 5.000 Watts, sendo a mesma, todavia, ajustada com precisão à respetiva espessura da chapa. Robôs de dobragem dão forma a chapas metálicas, em parte com várias dobras em graus variáveis.

Há também muito trabalho de manufatura. Os autocarros são extremamente diversificados, individualizados, sendo produzidos em quantidades relativamente pequenas - razão pela qual os trabalhadores altamente qualificados da fábrica de Mannheim superam em muitos pontos os robôs. Da mesma forma, o homem e a máquina trabalham muitas vezes em conjunto na produção da estrutura em bruto dos autocarros, como é o caso nos viradores de soldadura: os trabalhadores introduzem os perfis, o equipamento coloca as peças por rotação na posição ideal e os robôs soldam as peças. O controlo e pequenos trabalhos de acabamento ficam novamente a cargo de trabalhadores especializados.

Os equipamentos onde são fabricados painéis laterais completos, estruturas do teto ou subestruturas são impressionantes. Trabalhadores experientes introduzem os tubos quadrados preparados manualmente, os segmentos da subestrutura provêm, em parte, da fábrica associada em Holysov. Ainda mais impressionante é a «catedral» no edifício 135 para a montagem destes componentes, incluindo a frente e a traseira. Grupos de sete trabalhadores soldam a parte inferior da carroçaria, os painéis laterais, o teto, a frente e a traseira para completar a estrutura monobloco do autocarro. Seguidamente são montadas peças especiais, como suportes e chapas. Depois de um «picking» específico para cada autocarro, estas chegam a rolar em carrinhos com os conjuntos. Nesta fase, só os peritos conseguem distinguir um eCitaro dos seus irmãos: este tem calhas de fixação para os sistemas posteriores de suporte no teto, sobretudo para os conjuntos de baterias. Esta conceção é uma derivação do Citaro NGT com os respetivos depósitos de gás no teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, dispositivo rotativo para soldadura a laser para painel lateral eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, dispositivo rotativo para soldadura a laser para painel lateral eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, montagem de subestrutura, painéis laterais e teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, montagem de subestrutura, painéis laterais e teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, eCitaro montagem do painel lateral.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, eCitaro montagem do painel lateral.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, eCitaro montagem do painel lateral.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, eCitaro montagem do painel lateral.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, pintura por imersão catódica.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, pintura por imersão catódica.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, carroçaria em bruto eCitaro finalizada.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, estrutura em bruto, carroçaria em bruto eCitaro finalizada.

Segue-se o ponto mais importante da prevenção da corrosão, a pintura por imersão catódica. Depois de um processo de limpeza e da fosfatização, toda a estrutura do autocarro é imersa numa cuba de 16 metros de comprimento, 4 metros de largura e 6 metros de profundidade. A qual contém 420.000 litros de líquido. A estrutura é virada várias vezes dentro da cuba durante um quarto de hora para que a importante camada protetora chegue a todos os pontos da estrutura. De modo a garantir que todos os perfis também ficam perfeitamente protegidos no interior, estes são fornecidos com cerca de 1.000 orifícios oblongos. Uma parte destes orifícios é usada mais tarde na montagem como pontos de fixação de peças amovíveis. O revestimento abrangente da pintura por imersão catódica tem 22 milésimos de milímetro de espessura, o termo técnico é 22 mµ. Após secagem a 90 graus Celsius, o revestimento é fixado a 220 graus Celsius. Após de vedadas as costuras, da selagem da parte inferior da carroçaria, bem como da montagem dos primeiros componentes, o eCitaro empreende a sua primeira viagem, tal como todos os outros autocarros, viajando de comboio para a pintura na fábrica da Neu-Ulm.

Depois de regressar a Mannheim, entretanto com os painéis colocados e pintado, a carroçaria do eCitaro é limpa e seca. Depois inicia-se a montagem do eCitaro no edifício 34 da fábrica. Aqui, tal como noutras operações de montagem e acabamento, trabalham cerca de 1.000 funcionários predominantemente num único turno. Nas imediações e no interior do edifício 34, a tradição e a modernidade da fábrica de Mannheim são diretamente confrontadas. O edifício em tijolo bem conservado apresenta um estilo clássico e irradia dignidade. A sua origem, facto sublinhado pela inscrição, remonta à era Benz & Cie. Início do século passado e classificado como edifício histórico. Por outro lado, no seu interior são produzidos autocarros urbanos de alta tecnologia.

Aplica-se na montagem o mesmo que na estrutura em bruto: todos os Citaro rolam pela mesma linha, todos são submetidos aos mesmos processos de fabrico. Só as etapas de produção divergem. Igualmente complexas são as áreas de trabalho dos funcionários, igualmente elevadas as suas qualificações.

No edifício histórico, o eCitaro vai crescendo a cada posto para se tornar num autocarro urbano totalmente elétrico. Num posto elevado são montados componentes no teto, como o ar condicionado e o suporte traseiro com o sistema de refrigeração das baterias. Cabos de alta tensão cor de laranja ou revestidos a laranja são introduzidos e distribuídos. Segue-se a tubagem dos elementos do teto. Nos postos seguintes procede-se à colagem das janelas laterais do eCitaro. Após a instalação de outras tubagens na área traseira, o piso é colocado no interior e os primeiros componentes são fixados sob o teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro pré-montagem dos suportes de equipamentos no teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro pré-montagem dos suportes de equipamentos no teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro montagem dos suportes de equipamentos no teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro montagem dos suportes de equipamentos no teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem dos cabos de alta tensão do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem dos cabos de alta tensão do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem das janelas laterais do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem das janelas laterais do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação da cablagem do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação da cablagem do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, pré-montagem eixo motriz elétrico.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, pré-montagem eixo motriz elétrico.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação dos eixos motrizes elétricos no eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação dos eixos motrizes elétricos no eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação do sistema de refrigeração eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação do sistema de refrigeração eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação do conjunto de baterias de alta tensão no eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação do conjunto de baterias de alta tensão no eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem da resistência de travagem e dos conversores de corrente no eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem da resistência de travagem e dos conversores de corrente no eCitaro.

 

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro instalação do cockpit.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro instalação do cockpit.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem dos pneus do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem dos pneus do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação da cobertura do display eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, instalação da cobertura do display eCitaro.

O edifício 30, logo ao lado, é o local onde decorre a montagem principal. Aqui os Citaro são conduzidos ao longo de duas linhas paralelas. Estas permitem nivelar volumes de trabalho diferenciados nos autocarros urbanos, em função do equipamento. De qualquer forma, o trabalho é feito de forma diligente, à frente, ao meio e atrás, os trabalhadores atuam em simultâneo. São agora instalados reservatórios de ar comprimido e a tubagem para o aquecimento e o ar condicionado. Sistema elétrico e cabos são introduzidos no autocarro elétrico. O ponto central é o tubo transversal entre o cockpit e o compartimento dos passageiros. Seja eCitaro ou Citaro: devido às várias funções e às várias luzes, em cada autocarro urbano são desenrolados mais de 100 quilogramas de cabos. Uma etapa típica do eCitaro é a instalação do radiador atrás, à esquerda, outrora o compartimento do motor para a unidade propulsora e os componentes auxiliares.

Segue-se uma etapa decisiva no decurso do processo: a montagem do eixo motriz elétrico com os motores dos cubos das rodas. Uma grande vantagem do eixo: os pontos de apoio são idênticos aos do eixo pórtico motriz convencional do Citaro com motor de combustão interna. O eixo dianteiro é igualmente montado. Enquanto no Citaro habitual é inserido um motor de combustão interna, o eCitaro recebe no posto idêntico um módulo composto por quatro conjuntos de baterias atrás, à esquerda.

Segue-se o equipamento interior do autocarro urbano: teto interior, canais de ar, os revestimentos laterais do compartimento dos passageiros, o cockpit e muitos outros componentes. O banco do condutor e os bancos dos passageiros são montados, tal como os balaústres e as paredes divisórias. Acrescentam-se as portas e, por fim, o para-brisas.

Mais uma vez, o eCitaro muda de pavilhão, rolando para o edifício 32. Enquanto isso, os módulos de baterias do teto do eCitaro – tal como antes também o conjunto de baterias na traseira – foram pré-instalados no recinto da fábrica no KEM, o centro de competência para a mobilidade isenta de emissões. Os colaboradores do KEM são especialistas em matéria de iguarias tecnológicas: aqui são montados veículos de baixas emissões e isentos de emissões de todos os tipos como protótipos, convertidos em pequenas séries e preparada a sua futura produção em série em fábrica. No edifício 32 as baterias de teto são colocadas em primeiro lugar e ligadas ao sistema de refrigeração, o qual é cheio imediatamente após uma verificação de estanqueidade.

Após a colocação em operação do respetivo sistema de 24 Volts, com o final da produção já à vista, o eCitaro distancia-se pela primeira vez do processo habitual. Numa área fechada procede-se à verificação e à colocação em operação do sistema de alta tensão, incluindo o isolamento. Naturalmente, os trabalhadores têm formação técnica para manusear a tecnologia de alta tensão. Uma vez que as baterias são fornecidas previamente carregadas, o veículo está imediatamente pronto a circular. Para além disso, o eCitaro recebe agora a sua elevação marcante do rebordo do teto, verificando-se também o carregamento das respetivas baterias num posto de carregamento rápido.

Todos os colaboradores envolvidos na montagem do eCitaro passaram por uma ação de sensibilização em matéria de alta tensão. Neste ponto, no entanto, é necessária uma qualificação adicional em termos de alta tensão. Apenas os trabalhadores com formação adequada, reconhecidos imediatamente pelo ponto amarelo no respetivo cartão de identificação, têm acesso a este posto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem conjunto de baterias de alta tensão do teto do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, montagem conjunto de baterias de alta tensão do teto do eCitaro.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro colocação em operação da alta tensão.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro colocação em operação da alta tensão.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro colocação em operação da alta tensão.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro colocação em operação da alta tensão.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro montagem do revestimento do teto.

eCitaro produção, Daimler AG/EvoBus fábrica Mannheim, Alemanha, montagem, eCitaro montagem do revestimento do teto.

Mercedes-Benz eCitaro com tração totalmente elétrica, exterior, carregador de corrente e medidor de carga.

Mercedes-Benz eCitaro com tração totalmente elétrica, exterior, carregador de corrente e medidor de carga.

Teste do eCitaro na prática: prova de estrada.

Teste do eCitaro na prática: prova de estrada.

Teste do eCitaro na prática: prova de estrada.

Teste do eCitaro na prática: prova de estrada.

O eCitaro pronto para entrega na fábrica de Mannheim.

O eCitaro pronto para entrega na fábrica de Mannheim.

Depois o eCitaro regressa ao processo habitual. Seguem-se pequenos trabalhos, como a aplicação de pictogramas ou a montagem dos últimos revestimentos. Além dos testes intensivos a que cada autocarro é submetido. A qualidade é permanentemente controlada ao longo da produção: os técnicos usam tablets para o efeito, que não se limitam apenas à consulta da extensão de verificação padrão, mas permitem ainda definir a qualquer momento outros pontos sensíveis. Além disso, os colaboradores do controlo de qualidade examinam atentamente o âmbito dos trabalhos nos assim chamados «Quality Gates». Cada Citaro é submetido obrigatoriamente à passagem pelo banco de ensaio dos travões, tal como ao teste de chuva e à minuciosa inspeção final.

Mas ainda não é tudo: cada eCitaro é conduzido tanto num circuito de ensaio interno à fábrica, como num percurso externo com cerca de 50 km na via pública, sendo mais uma vez minuciosamente inspecionado por um departamento independente de garantia da qualidade. Sejam estados operacionais, funções de condução ou emissão de ruídos – cada eCitaro é submetido a um exaustivo processo de ensaio nestas viagens sob olhares atentos e sentidos apurados.

Só então estará pronto para a entrega à respetiva empresa de transporte. Esta pode efetuar-se diretamente no local da empresa ou no Bus World Home mais próximo, podendo ser complementada opcionalmente por uma formação de condutores ou por uma formação no recinto da empresa cliente. Passaram-se cerca de seis semanas desde o início da respetiva produção com o processamento dos tubos quadrados para a estrutura do autocarro.

Um consumo reduzido fala por si. E, para alguns decisores, o consumo de combustível é até o aspeto mais importante na aquisição de um novo autocarro. Os melhores pressupostos para o Tourismo.

Tecnologia de propulsão inovadora, sistemas de assistência ao condutor modernos e a menor resistência aerodinâmica da sua classe – o novo Mercedes-Benz Tourismo reduz claramente o consumo de combustível em comparação com o seu modelo antecessor. Pilotos de testes de autocarros e jornalistas especializados já puderam comprovar a excelente economia do Tourismo. Assim, o vencedor da prestigiada International Bus & Coach Competition (IBC) 2018 obteve no teste um valor exemplar de consumos: em 100 quilómetros, apenas 20,72 litros de diesel entraram no motor de 6 cilindros de um Tourismo M/2.

Tema da campanha Eco Champ 2018.
O orgulhoso vencedor de medalha: Walter Marini da Walterbus em Itália.

O orgulhoso vencedor de medalha: Walter Marini da Walterbus em Itália.

Porém, mais importantes ainda são os números atingidos no serviço de rotina em estrada. Então, por que não perguntar logo aos motoristas? Ou, melhor ainda: deixá-los defrontar-se numa competição? A partir desta ideia luminosa surgiu o «Tourismo Eco Champ 2018» – uma busca a nível europeu pelos motoristas mais poupados de Tourismo entre os 40 países onde está disponível este autocarro turístico de teto elevado da Mercedes-Benz.

Já estão definidos os vencedores. E, juntamente com eles, valores de consumos especialmente reduzidos, que os testes do fabricante e da IBC confirmam. A avaliação teve lugar em quatro categorias que representam todas as variantes da versátil gama de modelos Tourismo – desde o modelo-base de dois eixos e um comprimento de 12,3 metros até ao Tourismo L de três eixos e 13,9 metros de comprimento.

Com um consumo médio de 19,2 litros de diesel (modelo Tourismo), Walter Marini da Walterbus em Itália obteve o valor mais reduzido de forma transversal em todas as categorias. As 24 senhoras e senhores motoristas da Buteo Busservice Behrendt de Kloster Lehnin em Brandemburgo também se revelaram grandes especialistas em poupar. Especialmente assinalável: o seu consumo médio de apenas 21,7 litros de diesel foi obtido em condições reais durante cerca de 94.000 quilómetros com o Tourismo L de três eixos.

Como prémio, as equipas vencedoras receberam uma medalha Eco Champ e uma exclusiva bicicleta de montanha Mercedes-Benz com quadro extraleve em carbono e caixa de velocidades de 22 mudanças. E também na próxima época de viagens irá ser eleito o novo «Tourismo Eco Champ 2019», pois a caça ao consumo mais reduzido nunca sairá de moda.

Foto de grupo com bicicleta de montanha: a equipa vencedora alemã da Buteo Busservice Behrendt.

Foto de grupo com bicicleta de montanha: a equipa vencedora alemã da Buteo Busservice Behrendt. Da esquerda para a direita: Jürgen Popis (Mercedes-Benz), Henryk Iwaniak (empresa Buteo), Stefan Behrendt (empresa Behrendt), Ivonne Behrendt (empresa Behrendt), Ralf Hochuli (Mercedes-Benz), Simone Kausmann (empresa Behrendt).

28 de fevereiro de 2019 – a mudança para a propulsão elétrica em autocarros urbanos é complexa e exige amplos preparativos. A alternativa rápida e comparativamente económica enquanto tecnologia transitória especialmente amiga do ambiente chama-se Mercedes‑Benz Citaro NGT hybrid com propulsão a gás. Com a unidade de acionamento híbrida a Mercedes‑Benz desenvolveu uma pequena maravilha tecnológica: o Citaro NGT hybrid apresenta uma eficiência mais uma vez incrementada em até 8,5 por cento. Os motores a gás natural praticamente não emitem partículas, sendo as emissões de NOx extremamente reduzidas. Para além disso, sendo movido a biogás ou gás natural biológico, o Citaro NGT hybrid move-se quase em neutralidade carbónica. É nisso que apostam, por exemplo, as empresas municipais de Augsburg com os seus seis novos Citaro NGT hybrid. Em Oldenburg, a empresa VWG emprega mundialmente o primeiro autocarro articulado Citaro G NGT hybrid, que se desloca com gás natural biológico. A procura a nível europeu é grande: a cidade central francesa de Bourges, onde o operador STU Bourges é uma filial da RATP Dev, também se decidiu pelo Citaro NGT hybrid, tal como as empresas espanholas EMT Madrid e Aucorsa Cordoba. E na capital eslovena, Liubliana, irá entrar ao serviço no próximo verão o primeiro dos 17 Citaro NGT hybrid encomendados.

Os primeiros autocarros de série Mercedes-Benz eCitaro movidos a baterias elétricas estão desde há algumas semanas a ser regularmente utilizados nos transportes públicos de Hamburgo e Heidelberg. Mais autocarros elétricos se seguirão na Alemanha nas próximas semanas. Também já recebemos as primeiras encomendas de países vizinhos europeus. Na Daimler Buses, a produção do eCitaro está ao nível de série, a fábrica de autocarros de Mannheim está pronta a fazer entregas. Em termos globais, atualmente ainda não existe procura para uma cobertura total de autocarros elétricos por parte das empresas de transportes públicos. Isso pode estar relacionado com o facto de a mudança de uma frota de autocarros convencionais para a propulsão elétrica e as infraestruturas necessárias serem muito mais complexas do que o previsto.

Paralelamente às entregas na Alemanha, daqui a poucos dias haverá vários eCitaro a dirigir-se também para as sedes dos parceiros de negócio da Daimler Buses no Luxemburgo, França e Polónia. Lá, deverão convencer os responsáveis pelos transportes públicos urbanos acerca das suas qualidades e capacidades práticas através da utilização nas suas próprias linhas.

As vantagens dos autocarros elétricos: não emitem substâncias nocivas localmente e, para além disso, quase não produzem ruído. Estes aspetos têm atualmente grande importância no desenvolvimento de planos de conservação de ar limpo em muitas cidades e regiões. Por outro lado, a mudança das empresas de transportes públicos para autocarros elétricos e respetivas infraestruturas custa muito tempo e dinheiro. Só a tecnologia de um autocarro elétrico é já muito cara e as infraestruturas, como, por exemplo, estações de carregamento, equipamento oficinal, qualificação do pessoal, etc., têm de ser pensadas e concebidas tendo em conta a realidade e as exigências locais. Por essa razão, a Daimler Buses - um dos mais fortes e experientes parceiros dos operadores de redes de autocarros - apoia as empresas de transportes públicos na mudança com aconselhamento individual, serviços e formação através do seu eMobility Consulting e Omniplus. Um dos pressupostos mais importantes para a entrada no mercado dos autocarros elétricos da Daimler Buses foi poder oferecer um veículo que satisfaça totalmente as empresas de transportes públicos, tal como os Citaro, milhares e milhares de vezes reconhecidos, o têm feito até agora. O autocarro elétrico deve aliar a segurança de funcionamento, a disponibilidade no dia a dia e a segurança de condução de um veículo de série com as novas exigências relativas às emissões.

Stuttgart / Mannheim, 25 de fevereiro de 2019

  • O Mercedes-Benz eCitaro destaca-se na utilização diária na Alemanha
  • As empresas de transportes públicos europeias testam as capacidades práticas do eCitaro
  • Tecnologia altamente evoluída como base para eficiência máxima

Partida para a Europa. Os primeiros Mercedes-Benz eCitaro para a Europa põem-se a caminho.

Partida para a Europa. Os primeiros Mercedes-Benz eCitaro para a Europa põem-se a caminho.

O Mercedes-Benz eCitaro não é produzido numa oficina de protótipos, mas na mesma linha de produção que todos os outros autocarros urbanos na fábrica de Mannheim, atingindo assim uma qualidade de produção em série. A diferença está, sobretudo, na técnica de propulsão. Os eCitaro para os ensaios nas cidades europeias dispõem de dez packs de baterias e de uma capacidade total de 243 kWh, bem como de motores elétricos junto aos cubos das rodas. A gestão térmica otimizada ao detalhe, com arrefecimento das baterias, ar condicionado com bomba de calor, bem como a comunicação em rede de componentes são um ponto alto na construção de autocarros. Estes asseguram um consumo de energia mínimo e, assim, a mais alta eficiência e autonomia máxima. O facto de o consumo de energia de um autocarro elétrico para aquecimento e arrefecimento poder representar até 50 por cento, é ao mesmo tempo um desafio que muitas vezes apenas é do conhecimento de especialistas em autocarros. O chassi elaborado dos autocarros elétricos também se destaca, entre outros, pelo programa eletrónico de estabilidade ESP e por um sistema de regulação da oscilação transversal e longitudinal. No Mercedes-Benz eCitaro, segurança, eficiência e proteção ambiental andam de mãos dadas.