Utilização de cookies

Para otimizar e melhorar continuamente este website, a Daimler utiliza cookies. Ao continuar a utilizar o website, concorda com a utilização de cookies.

Poderá obter mais informações nas notas sobre cookies.
Condução segura.
Citaro hybrid

Condução segura.

Diversos sistemas de assistência auxiliam o condutor. Assim, a Mercedes-Benz foi o primeiro fabricante a nível mundial a instalar, por exemplo, o sistema de travagem antibloqueio (ABS) e o programa eletrónico de estabilidade (ESP®) em autocarros. No Citaro G hybrid, o Articulation Turntable Controller (ATC) garante um comportamento de direção ideal graças ao amortecimento hidráulico da articulação, rápido e regulado pela necessidade. O controlo de tração (ASR) evita a patinagem das rodas de tração. Com o sistema de travagem eletropneumático (EBS), a distância de paragem diminui significativamente, uma vez que os travões reagem de forma mais rápida e precisa. O novo Preventive Brake Assist, bem como o Sideguard Assist asseguram intervenções de travagem e manobras preventivas.

O módulo de acumulação híbrido praticamente isento de manutenção situa-se fora da área de colisão, na parte traseira do teto. Foi possível prescindir de tecnologia de alta voltagem; através da utilização de tecnologia inovadora de 48 V de baixa voltagem, o novo Citaro hybrid não inclui qualquer risco de segurança aumentado; além disso, a tecnologia de baixa voltagem não requer qualquer alteração no que diz respeito ao serviço e manutenção, poupando nos custos adicionais.

O modo de funcionamento do ABS: as rodas têm sensores que reconhecem a respetiva rotação da roda e enviam a informação para uma unidade de controlo central. Nas travagens, se for atingido o ponto sensível de bloqueio das rodas, a roda é mantida neste mesmo limiar através da variação da pressão. Em apenas um segundo, a pressão de travagem pode ser aumentada e reduzida várias vezes.

Na travagem, todas as forças que atuam sobre as rodas e o comportamento de rolamento são monitorizados continuamente. As forças de travagem que atuam sobre as rodas são distribuídas de forma a impedir o bloqueio das rodas, mantendo a capacidade direcional do veículo.

Em dezembro de 1970, a Mercedes-Benz apresentou o primeiro ABS com regulação eletrónica do mundo – uma revolução na segurança de condução e rodoviária. Através de intervenções eletrónicas seletivas na travagem, consegue-se manter as rodas sem bloqueio permanente. Desta forma é minimizado o risco de perder a estabilidade direcional, e o veículo pode ser direcionado na direção de marcha desejada, mesmo durante uma travagem a fundo. A tecnologia ABS forma a base para outros desenvolvimentos nos sistemas de segurança eletrónicos, tais como o programa eletrónico de estabilidade (ESP®) ou o assistente de travagem (BAS).

O programa eletrónico de estabilidade (ESP®) é um sistema ativo para aumentar a segurança de condução e a estabilidade de condução. Contribui significativamente para a redução do perigo de derrapagem em curvas ou durante manobras de desvio. Para tal, em situações de dinâmica de condução crítica, as forças de travagem de cada roda são individualmente reguladas, por exemplo se o autocarro atingir um estado limite durante a condução em curvas. Ao mesmo tempo é reduzida a potência do motor. A "derrapagem" possível do autocarro é assim evitada através de travagens bem doseadas, dentro dos limites do que é fisicamente possível.

O ESP® monitoriza, entre outros, a aceleração transversal do autocarro. Caso o autocarro atinja, em curvas longas – por exemplo saídas de autoestrada – ou em mudanças de faixa rápidas, um estado de condução crítico, a velocidade do veículo é reduzida automaticamente de forma a restabelecer a estabilidade de condução. O ESP® é comparável com o sistema utilizado nos veículos ligeiros de passageiros, mas oferece funções ampliadas, adaptadas para o serviço em autocarros.

O ASR impede a patinagem das rodas de tração de duas maneiras. Por um lado, o ASR minimiza a patinagem das rodas com intervenções doseadas na travagem. Por outro, o binário do motor é regulado através do "pedal do acelerador eletrónico". Mesmo com o acelerador a fundo, em situações críticas, o motor disponibiliza apenas a potência que as rodas de tração conseguem transmitir – uma grande vantagem para a segurança de arranque e estabilidade de condução.

No arranque, os binários que atuam sobre as rodas de tração e as rotações das rodas são monitorizados. A distribuição do binário é controlada de forma a impedir a patinagem. Desta forma garante-se sempre um fluxo de força ideal.

O ASR apoia o condutor ao minimizar a patinagem das rodas de tração na aceleração e, assim, o perigo de uma derrapagem lateral da traseira do veículo (tração traseira). Especialmente nos motores de binário elevado, o ASR oferece desta forma mais conforto e mais segurança no arranque – nomeadamente numa faixa de rodagem com aderência variável.

Caso o veículo entre num estado de condução instável, por exemplo, numa faixa de rodagem com gelo, o amortecimento da articulação é acionado de forma rápida e consoante a necessidade. Deste modo, o autocarro articulado é estabilizado muito rapidamente dentro das possibilidades físicas, evitando o balanceamento ou até mesmo a derrapagem da secção traseira, com o temido "efeito de canivete". Assim, o novo comando da proteção da articulação ATC é o único do seu género a alcançar um efeito semelhante ao do comando do programa eletrónico de estabilidade (ESP®).

Citaro G, Teste de inverno da proteção da articulação, 2014 Rovaniemi

No caso de perigo iminente, a reação correta do condutor é tão importante como o equipamento técnico do veículo. A base ideal para isto são as formações de segurança OMNIplus. Aqui está no centro das atenções, entre outros, o conhecimento prático do comportamento do veículo em situações limite.